Diabético Pode Doar Sangue? Impeditivos definitivos para doação

Diabético Pode Doar Sangue? Veja os impeditivos definitivos para doação

diabetico pode doar medula?

Na diabetes não se pode doar sangue?

Anúncios

Veja aqui todas as recomendações ligadas a doença e entre outros tópicos importantes sobre a mesma em nosso blog especializado.

Na seqüência são apresentados os impeditivos definitivos para doar sangue:

  1. quando o resultado é positivo às enfermidades com transmissão por sangue, sendo exemplo a AIDS, hepatite B e C, enfermidades ligadas com vírus HTLV I e II, e doença de chagas.
  2. o indivíduo já teve malária.
  3. a pessoa teve hepatite depois dos 10 anos de idade.
  4. se a pessoa tem problemas cardíacos graves, em rins, pulmonares ou em fígado.
  5. recebeu enxerto de duramater.
  6. a pessoa teve algum tipo de câncer, a incluir leucemia.

Na diabetes não se pode doar sangue:

  • não pode fazer a doação se o indivíduo tem diabetes com complicações vasculares ou se encontra fazendo utilização da insulina.
  • se a pessoa tem problemas em coagulação do sangue.
  • se a pessoa sofreu tuberculose extra-pulmonar.
  • caso tenha sofrido de elefantíase, calazar, ou brucelose, hanseníase.
  • se o indivíduo já teve esquistossomose hepatoesplênica.
  • caso a pessoa tenha sido submetida ao transplante de órgão ou da medula.
  • se a pessoa tem determinada enfermidade que não possa responder por si, inimputabilidade jurídica.

Leia também:

Futuro do Sangue Doado

O sangue tem separação nos hemocomponentes, como concentrado das plaquetas, concentrado das hemácias, e plasma fresco, e segue por muitos testes de laboratório a verificar se, se encontra adequado à utilização, tais testes são:

  • sorologia à hepatite B, sífilis, HIV, doença de Chagas.
  • tipagem sanguínea, sorologia, e ainda NAT à hepatite C e HIV.

Logo depois de inicial triagem, após comprovação que está adequado à utilização, o sangue coletado tem envio para hospitais de modo a ser utilizado nos pacientes que precisam, sendo exemplo os que passam por sangramentos, nas situações dos transplantes e cirurgias, os que realizam tratamento quimioterápico.

O plasma que não for usado pode ser enviado a Hemobrás, que representa indústria de produção dos remédios aos indivíduos que são portadores das enfermidades hemorrágicas.

Quais São os Cuidados Depois de Doar?

Depois de doar, a pessoa deverá esperar na posição sentada durante 15 minutos, anteriormente a ter liberação.

Indica-se tomar muito líquido, e a orientação é não fumar por ao menos 2 horas depois de fazer o procedimento.

Pelo dia, a recomendação é evitar atividades físicas que demandam bastante esforço, como subida das escadas e rampas, ou até ir para academia, já que pode haver risco da pessoa se sentir fraca, com desmaio e tontura.

Procurar não usar o braço onde foi feita a coleta, já que o esforço com este vai poder gerar sangramento ou mesmo os hematomas.

Manter o curativo em lugar ao mínimo de 4 horas. Se ocorrer sangramentos, pressionar o local durante alguns minutos e fazer troca de curativo.

Se a pessoa se sentir incomodada e preferir que o sangue não seja usado nas doações, é possível ir para o lugar em que foi feita a doação e pedir que o sangue tenha descarte.

Veja também dicas importantes sobre:

Considerações finais

Sobre as reações adversas, na doação de sangue, e até 24 horas depois do procedimento,

é possível notar determinadas reações adversas associadas com precária alimentação, noite dormida mal, estresse e ansiedade como: suor, vômito, formigamento de pés e mãos.

Ainda a sensação do desmaio levando ainda a raros quadros das convulsões, turvação visual, e hematoma em local em que a agulha foi aplicada.

Vídeo | Quem tem diabetes pode doar sangue?