Sintomas de Esofagite? Tem cura e remédio caseiro? - Será Que Pode

Sintomas de Esofagite? Tem cura e remédio caseiro?

remédio natural caseiro para esofagite

Esofagite é uma inflamação do revestimento do esôfago, que é o tubo ligando a garganta ao estômago.

Anúncios

As causas, sintomas e tratamento da inflamação são apresentados na seqüência.

Se a esofagite é deixada sem tratar, esta condição pode se tornar muito desconfortável, causando dificuldade em engolir, e úlceras ou cicatriz do esôfago.

O esôfago de Barrett, uma complicação de refluxo ácido, é um fator de risco para câncer de esôfago.

Causas da Esofagite

A esofagite é uma irritação do esôfago causada por qualquer dos fatores seguintes:

Sintomas da inflamação

Os sintomas da esofagite incluem:

  1. dificuldade e, ou dor ao engolir
  2. azia, regurgitação ácida
  3. Se tiver quaisquer destes sintomas, é dever contatar o médico.

Vídeo | Dicas de Como tratar a esofagite

Diagnóstico da inflamação

Uma vez que o médico fez um exame físico e revisou o histórico médico, há vários testes que podem ser usados para diagnosticar esofagite. Estes incluem:

  • Endoscopia: um teste em que um tubo longo, flexível, e iluminado chamado de endoscópio é usado para olhar no esôfago.
  • Biópsia: durante este teste, uma pequena amostra do tecido esofágico é removida e então enviada a um laboratório para ser examinada sob microscópio.

Raio-X de bário: durante este procedimento, os raios X são tirados do esôfago após o paciente beber uma solução de bário.

O bário reveste o forro do esôfago e mostra branco em um raio-X. Esta característica permite os médicos a visualizar quaisquer anormalidades.

Tratamento de Esofagite

O tratamento para a inflamação depende da sua causa.

Enquanto os remédios que bloqueiam a produção de ácido podem ser recomendados, outros remédios podem ser prescritos para causas infecciosas da esofagite.

Enquanto sendo tratado de esofagite, há certos passos que a pessoa pode tomar para ajudar a limitar qualquer desconforto que possa sentir.

Estes incluem:

  • Evitar alimentos picantes como com pimenta, curry.
  • Evitar alimentos ácidos e bebidas como tomates, laranja, toranja e seus sucos. Ao invés, tentar bebidas de néctar e bebidas com imitação de fruta com vitamina C.
  • Incluir mais alimentos leves como purês de batata.
  • Ao comer, morder e mastigar o alimento todo.
  • Evitar álcool e tabaco.

Veja também:

Dieta de Refluxo

A dieta é muitas vezes uma chave para limitar sintomas de inflamação.

A dieta de refluxo gastroesofágico é visada em reduzir o refluxo ácido, a causa principal de esofagite.

  1. evitar alimentos gordurosos
  2. evitar alimentos picantes
  3. evitar alimentos ácidos e bebidas como cítrica e tomate
  4. comer refeições menores
  5. comer alimentos moles que são facilmente digeridos
  6. evitar café, até o descafeinado, álcool, refrigerante e chocolate

Mudanças no Estilo de Vida

Outras sugestões que podem aliviar os sintomas de refluxo gastroesofágico e inflamação incluem:

  • parar de fumar
  •  permanecer na vertical enquanto comendo e por um tempo depois
  • comer mordendo o alimento devagar
  • evitar comer dentro de 3 horas antes de dorimr- emagrecer
  •  usar roupas largas

Vídeo | Chá natural caseiro para a inflamação

O que Pode Ser Dor no Esôfago?

Os espasmos esofágicos são contrações dolorosas dentro do tubo muscular ligando a boca e o estômago, o esôfago.

Os espasmos esofágicos podem ser como dor no peito grave, súbita, que dura de alguns minutos a horas.

Os espasmos esofágicos normalmente ocorrem apenas ocasionalmente, e podem não precisar de tratamento.

Mas às vezes, os espasmos são freqüentes e podem evitar que alimento e líquidos passem pelo esôfago.

Se os espasmos esofágicos interferem com a capacidade de se alimentar ou beber, tratamentos são disponíveis.

Sintomas do Espasmo Esofágico

Sinais e sintomas de espasmos esofágicos incluem:

  • Dor comprimida no peito. A dor é muitas vezes intensa, e a pessoa pode confundi-la com dor cardíaca, angina.
  • Dificuldade em engolir, às vezes relacionado com engolir substâncias específicas, como vinho tinto, ou os líquidos muito frios ou quentes.
  • A sensação que um objeto está preso na garganta.
  • O retorno do alimento e líquidos de volta para o esôfago, regurgitação.

A dor no peito comprimida associada com espasmos esofágicos pode também ser causada por um ataque cardíaco.

Se vivenciar a dor no peito comprimida, buscar cuidado médico imediato.

Causas para Espasmo Esofágico

Não está claro o que causa espasmos esofágicos. No entanto, parecem estar relacionados com um funcionamento anormal dos nervos que controlam os músculos que a pessoa usa quando engole.

Um esôfago saudável normalmente movimenta o alimento no estômago através de uma série de contrações musculares coordenadas.

Os espasmos esofágicos tornam isso difícil para os músculos nas paredes do esôfago inferior para coordenar com foco em movimentar o alimento para o estômago.

Há 2 tipos de espasmos esofágicos:

  • Contrações ocasionais (espasmos esofágicos difusos).
  • Este tipo de espasmo pode ser doloroso e é muitas vezes acompanhado de regurgitação do alimento ou líquidos.
  • Contrações dolorosas intensas. Embora doloroso este tipo de espasmo, pode não causar regurgitação do alimento ou líquidos.

Tratamento

Muitos têm dúvida sobre como tratar o espasmo esofágico. O tratamento depende da freqüência e gravidade dos espasmos esofágicos.

Se os espasmos são ocasionais, o médico pode recomendar evitar alimentos desencadeadores ou situações.

Se os espasmos tornam difícil comer ou beber, o médico pode recomendar:

  • Controlar as condições subjacentes. Os espasmos esofágicos são às vezes associados com condições como azia, ansiedade ou depressão.
  • Medicamentos para relaxar os músculos de engolir.
  • Cirurgia (miotomia).

Se o medicamento não funciona, o médico pode recomendar um procedimento que envolve cortar o músculo na extremidade inferior do esôfago, para enfraquecer as contrações esofágicas.

Os estudos de longo termo desta abordagem não são disponíveis, assim a miotomia geralmente não é recomendada para espasmos esofágicos.

No entanto, pode ser considerada se outros tratamentos não funcionam.

Miotomia endoscópica peroral.

Nesta nova técnica minimamente invasiva, um endoscópio inserido pela boca e abaixo da garganta permite uma incisão no interior do revestimento do esôfago.

Assim, como na miotomia, a cirurgia corta o músculo na extremidade inferior do esôfago.

Como a miotomia, a miotomia endoscópica peroral é geralmente considerada apenas se outros tratamentos não funcionam.