Quem Pode Fazer Doação de Plaquetas?

Quem Pode Fazer Doação de Plaquetas?

doar plaquetas é perigoso?

Um dos muitos componentes do sangue, as plaquetas têm produção em medula óssea e possui como função principal auxiliar em sistema de coagulação do organismo, a servir de barreira e a minimizar sangramentos. Assim, é essencial que o corpo tenha suficientes quantidades do elemento presente em sangue.

Anúncios

Várias enfermidades, no entanto, diminuem a quantidade das plaquetas em sangue, sendo exemplo a dengue, e mais doenças oncológicas e hemorrágicas.

São nestas situações em que a transfusão das plaquetas se mostra útil, pode auxiliar em tratar e até mesmo salvar vida.

Anúncios

Como funciona a doação de plaquetas?

A enorme diferença entre doar sangue e doar plaquetas, é que a doação de plaquetas realizada por aférese faz obtenção de quantidade das plaquetas de 6 a 8 vezes superior em comparação com doação convencional de sangue.

Mas, o procedimento, é muito semelhante.

É feita punção venosa em um membro superior em relação ao doador, de forma que o sangue retirado tem direcionamento para circuito estéril, descartável, no automatizado equipamento que possui capacidade da coleta apenas das plaquetas, a devolver outros componentes do sangue para o doador.

Não existe contato de sangue de doador com equipamento, apenas com circuito descartável.

Quem pode e quem não pode fazer doação de plaquetas?

Podem fazer doação os indivíduos entre 18 anos e 69 anos, que possuam mais de 55 kg e que fizeram doação de sangue há mais de trinta dias.

Quem vai doar não deve se encontrar no jejum, no entanto, a ingestão dos alimentos gordurosos deve ser evitada 3 horas anteriormente a doar.

Os indivíduos que possuem histórico das enfermidades, sendo exemplo HIV, hepatite, malária, e mal de Chagas não podem fazer doação, assim como os indivíduos que fizeram maquiagem definitiva ou tatuagem há menos de um ano.

A pessoa que recebeu sangue ou derivados há menos de um ano, ou possui comportamentos sexuais associados com transmissão de enfermidades, não também.

Os riscos aos doadores têm minimização com uso de equipamentos da tecnologia alta e dos materiais inteiramente descartáveis.

Leia também:

Procedimento Aférese

Aférese se caracteriza palavra com origem grega, que quer dizer separação.

Trata-se de procedimento para doar sangue, em que há possibilidade de separação e retirada de um dos componentes do sangue por meio do uso do equipamento automatizado.

O sangue tem constituição por células e plasma, como leucócitos, glóbulos vermelhos, e pelas partículas, que se caracterizam as plaquetas, com responsabilidade por coagulação sanguínea.

Tais células se encontram imersas em plasma, que se mostra a líquida parte do sangue, formado por marca de 90% de água, proteínas e enzimas.

Processo seguro e simples

A doação através de aférese é processo seguro e simples, que possibilita coletar porção determinada de componente desejado do sangue.

Assim, apenas uma parte da totalidade de células tem remoção.

Em procedimento, o equipamento do sistema inteligente extrai parte sanguínea, faz separação pela centrifugação do hemocomponente que é desejado e devolve o resto para o doador.

Em Hospital Samaritano, por exemplo, a doação pela aférese é realizada contando com modernos equipamentos, com alta tecnologia, que possibilitam segurança para quem doa. Ao mês, são feitos em torno de 150 procedimentos.

A doação pela aférese pode ser feita a auxiliar em tratar enfermidades autoimunes, leucemia, transplantes e hemorragias.

Vídeo | Saiba a importância da doação e como é feita

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.